terça-feira, 22 de junho de 2010

Telephone

O facebook se torna uma ferramenta importante quando não quero estudar fisiopatologia da asma, ou qualquer outra coisa. Uma ferramenta de auto-sustentação e vaidade, amo escrever coisas que penso e que sou, e isso pra mim é vaidade (será?), não me entretenho com isso agora, não vim aqui pra falar sobre isso, quero falar da ligação que recebi hoje. Pois bem, nada a fazer, meu celular toca, número desconhecido, penso na possibilidade de ser alguém que ligou pro numero errado, ou trote sei lá, na verdade nem pensei muito, só atendi:

-Alô?
-Oi, tudo bem?
-Quem é? [Eu, com a voz roca, dessas qndo se fica mto tempo sem falar, tipo, ao acordar]
-MB
- Oh, ah, tudo bem. e vc? [Segue-se series de engasgações, rs, sofro de fobia à telefones, principalmente quando é algum dos meus afins]
-Tou otimo, so tou te ligando pra falar que mudei meu numero, te mandei uma msgm, mas vi q enviei pro numero errado, rs.
-Ah sim, vou gravar aqui na agenda, ql era a msgm, algo importante?
-Nada demais, so que estava com saudades.
-rs, ta bem, vamos marcar algo pra semana que vem, dpois dessa minha semana de provas. [[Yes, sou seco no telefone]
-Com certeza, vamos sim.


Falamos mas algumas coisinhas, até eu mostrar que queria desligar o telefone, ouvi pela ultima vez a risada linda dele, e desligamos...

Aí eu me pergunto, porque sempre tem que aparecer alguem que goste de você, que te valorize, e o pior para os que querem se manter solteiros, que te procurem? Justo neste momento em que eu não quero estar sério com ninguém? Tá, não quero curtição e pegação, já curti muito minha solteirice, só quero mesmo um tempo pra mim, nada de responsabilidades, elas ja me frustam bastante, esse é o motivo que prefiro relações abertas por agora, dessas que beijos são apenas beijos, sexo apenas sexo, e um não, não significa rejeição, só um não, momentâneo. Vou esperar florescer alguma coisinha nesse meu coraçãozinho de pedra, porque não quero deixar partir alguém assim, tão interessante, mas sei que ele é só um acalento, que nunca dariamos certo e blablábla. Enfim MB, queria tanto poder te falar isso, não quero te magoar e muito menos te usar, mas me use, sou feito de sentimentos e desejos momentâneos, e é dificil algo se solidificar aqui dentro, às vezes.

Lobo em pele de Carneiro


Lembrei do meu tio me ensinando que na profissão a gente tem que ter sempre o pulo do gato, contando a parábola da onça que não sabia caçar e o gato que ensinou tudo a ele, digo, quase tudo "menos o pulo do gato", que foi usado depois para se defender da própria onça que tentou se alimentar do pobre gato. Óbvio, que essa parábola também serve pra vida, e que estes ensinamentos fazem toda a diferença no final, uma forma de auto-proteção. Eu sei que todos devemos ser verdadeiros gatos, escondendo nossos segredos, mas eu confio na tese que não existe segredos, e que se eles existem, não são segredos, são tormentos da cabeça humana, coisas que não podem ser compartilhadas nem com um, nem com outro, só com você mesmo, e só! O problema é que o meu tio não sabe, que eu não tenho nenhum saco pra ser um gato, tão pouco a vilã onça... Estou por fora da espécie dos felinos. Prefiro os lobos, que andam em bandos, caçam e compartilham a comida com os demais da mesma espécie, e na noite, ainda cantam... Qual é a moral? qual vai ser o final dessa história? Eu não tenho nada prá dizer, por isso digo, que eu não tenho muito o que perder, por isso jogo, por isso sonho, são coisas da vida.

segunda-feira, 14 de junho de 2010


Fixo o olhar nas minhas mãos e penso como há tanta coisa pra se fazer no dia de hoje, tantas coisas que não fiz... Devia ter estudado, visto algum filme bom, ligar pra aquele cara de sábado e falar "Olha, eu tenho atitude", rs, no máximo sms. Hoje eu não dormi, e quando dormi e acordei, já eram 23:00. Não devo dormir novamente, e prometer fazer várias coisas novamente, igual prometi enquanto fumava na minha janela fitando uma estrela, que depois descobri ser um avião, tragédia? Não, talvez seja uma resposta... Movimente-se, este era o sinal! Esta bem, mas agora não, só quero um bom banho quente, algo para esquentar os pés e sonhar na minha cama.
"Pequenas malícias não tem nada demais"

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Pra Você

Agora irei falar de mim, eu sou um garoto normal de 21 anos, aos olhos de Deus, desses que Ele não da muita importância, não a que eu quero pelo menos, mas é a que se pode ter. Dou o máximo de mim aos meus amigos, aos meus pais, e apesar de as vezes revelar um lado ruim meu, que eu tenho, que todos temos, eu tento ser o melhor que há em mim. Faço faculdade de medicina, e talvez tenha deixado a desejar nos meus estudos, mas ainda há tempo, eu só preciso de força de vontade e agradecer a tudo e a todos que tenho por perto, preciso pelo menos tentar levantar da cama mesmo quando me sinto fraco e impotente para tal ação. Quero ser grande, quero fazer a diferença, mas perdido que sou, estragado que sou, acabo por vezes destruindo tudo que esta ao meu redor... A minha fragilidade serve muitas vezes pra deboche de outros, mas isso não faz de mim uma pessoa fraca, talvez, até mesmo mais forte do que deveria ser. Vou tentar todos os meus dias ser alguma coisa do bem, e de alguma forma buscar meu lugar ao sol, clichê, mas é só isso o que quero, brilhar, nem que seja uma vez... Me perdoe todas as pessoas que eu consigo magoar, porque não consigo entender todas as situações do jeito simples que devem ser. Me perdoem por não ser afável, não ser amável, por não conseguir manter amizades sem falar minhas verdades. Cale-se "subvertido", nem todos merecem ouvir o que você pensa "- vou praticar isso", e se alguém estiver me ouvindo, saibam, eu não sou fraco, e a borboleta que há em mim, não há de durar apenas 24 horas.

"Prometo usar meu coração para as atitudes que só precisam disso, a racionalidade é uma ferramenta importante, óbvio, mas não é disso que as pessoas precisam, elas precisam de amor. Assim serei algo que sirva."

video

quarta-feira, 9 de junho de 2010



"Às vezes me permito enganar, sacaneio meus sentimentos, pra não me sentir cansado, de amar só o vento"

At.

Vou só cumprimenta-lo, pra ver ql é a dele, como esta... Q curiosidade, ja faz tanto tempo, no mais vai falar q esta tudo bem, e que esta com saudades e eu poderei cantar "You Got a big Ego, such a big Ego" pra mim, feliz!

Eu: Oi.
At está offline e pode não responder.
(Pensei: PUTA MERDA, Q FALTA DE EDUCAÇÃO, VOU CHINGAR ELE TODO, ACABAR COM A VIDA DELE)
Eu: CREDO, q educação hein (-me esforcei pra chinga-lo, mas nao deu)
At: Desculpe, estou com mto sono, bom falar com vc, tudo bem?
Eu: Tudo e vc? (Vou chama-lo pra sair, fzer algo - pensei)
At: Otimo e vc?
Eu: Indooo... so qria msmo saber se estava bem, pode ir dormir, rs, boa noite.
At: Estou otimo (-Qria tanto q não fosse verdade), boa noite, bjs
Eu: bjs.


(Não adianta, tenho mto medo de sofrer de novo...)

terça-feira, 8 de junho de 2010

Liberty



"Jamais renuncie à liberdade de viver, mesmo que ela ofenda às outras pessoas"

Minimizando o Passado

Quando criança gostava de brincar sozinho, pondera tamanha criatividade, o cabelo sempre muito bem alinhado, manias crescentes e se achava possuidor de poderes sobrenaturais, gritava aos coleguinhas fitando o ceú: - Faça-se o vento. E um dia ventou de verdade, o que o fez crer ser realmente especial. Era uma criança que odiava a presença de adultos e quanto mais "criança" a criança perto dele, ele gostava... Gostava de manipular situações e mandar nas outras crianças, até que se ferissem, ou não. Nunca teve a fama de malcriado, pois sabia desde cedo armar as situações, às escondidas. Escondia as chaves quando não o levavam consigo, cortava as redes de balançar para ninguem mais brincar sem a presença dele, escondia cactos de vidros em areias, enterrava bonecas e derramava propositalmente copos de leite no chão, apenas pelo amor à bagunça. Pois bem, a criança cresceu, e descobriu que muitas das maldades que fazia inconscientemente, eram erradas, pediu perdão, e deve ter sido perdoado, hoje ele tenta acertar, apesar de às vezes não resistir a uma sacanagem qualquer. Tenta ser inteligente, e uma pessoa decente. A culpa de sua infância "trágica" nem foi totalmente culpa dele, sofria exclusões, bullying (-rs), e não se sentia acoplado à sociedade moderna, se fosse de outra época pra tras, talvez fosse pior, com certeza o seria. Aos 21, ele sabe, que tudo que necessitamos é um pouco de controle e de simpatia com os demais, para assim, as portas finalmente se abrirem, pois bem, até agora funcionou.

Bipolar

Para me entender, você deve entender o meu transtorno psicológico:

O bipolar:

Ele se sente bem, realmente bem..., na verdade quase invencível. Ele se sente como não tendo limites para suas capacidades e energia. Poderia até passar dias sem dormir. Ele está cheio de idéias, planos, conquistas e se sentiria muito frustrado se a incapacidade dos outros não o deixasse ir além. Ele mal consegue acabar de expressar uma idéia e já está falando de outra numa lista interminável de novos assuntos. Em alguns momentos ele se aborrece para valer, não se intimida com qualquer forma de cerceamento ou ameaça, não reconhece qualquer forma de autoridade ou posição superior a sua. Com a mesma rapidez com que se zanga, esquece o ocorrido negativo como se nunca tivesse acontecido nada. As coisas que antes não o interessava mais lhe causam agora prazer; mesmo as pessoas com quem não tinha bom relacionamento são para ele amistosas e bondosas.

REF. Bibliografica: Psychiatry Research 2001; 103: 229-235

Hoje eu não quis...



Hoje eu nem quis acordar, ate acordei mas fingi durmir até mais tarde, fingi pra mim mesmo, fingi que botei o celular pra despertar e não ouvi, não fiz nada disso, fingi como sei bem fingir as coisas, às vezes não sinto vontade nenhuma de me levantar, tomar banho e ficar bonito pra enfrentar o que chamamos de vida. Eu teria que simplesmente dizer bom dia há quase uma centena de pessoas, piscar e sorrir pra elas, sentar e fingir prestar atenção no que o professor fala, ou até prestar atenção de verdade, seria fácil, mas hoje eu não quis, aliás, não quero, preferi o aconchego da minha cama, que de vez, me irrita, me dói as costas, preferi sonhar com uma vida que eu não tenho, com pessoas que eu não conheço, pessoas que vivem, que se beijam, e são realmente felizes.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Profilaxia



Aos molestados pelo dia, ultrajados pela face chata e soberba dos impiedosos mentirosos, aos que pensam que são cabíveis e importantes no mais doce lado do meu afeto, lhes dou a minha verdade, nua, crua e patética, grosseira e impensável, é o mínimo que se pode de ter de um ser mimado, mas castigado, pela vida e pelos amantes dela. É a minha profilaxia.

Entremos

Eu prometo falar somente a verdade, nada mais que a verdade, e jamais ser comum.