domingo, 5 de junho de 2011

O Menino

Era uma vez uma cidade inteira de meninos, mas foi numa noite de janeiro que nasceu um menino com as pernas maiores que o corpo inteiro, por isso ele olhava tudo de cima, e tropeçava, como tropeçava... Ele tinha braços longos também, e com eles abraçavam o mundo inteiro, sorria pra tudo e tinha beijos igual aos das virgens curiosas, dessas que espreitam nas janelas. Seus cabelos tinham cheiro de cupuaçu e o pescoço cheirava a folha de laranjeira, e às vezes até mesmo a melância. O menino, de fato, já havia nascido velho, no seu primeiro aniversário talvez já tivesse uns 100 anos, ou menos, mas isso não o tornava uma pessoa pesada, mas leve, parecia não ter fundo pra felicidade, ele parecia não ter problemas, mas talvez só parecesse ser assim, e não fora nada disso. Ele não era tão bonito, e nem diziam que era tão feio, mas enganava com o seu rosto pintado à mão. Um belo dia o menino amou tanto, sentiu tanto, que acabou morrendo feliz, e infeliz os outros meninos ficaram, esperando um outro dia de janeiro, pra nascer um outro menino com as pernas maiores que o corpo inteiro, e de coração vermelhinho igual pitanga.

Um comentário: