sexta-feira, 21 de setembro de 2012

SEU

Se eu te dissesse todo dia o quanto eu te amo, você se cansaria, eu me cansaria. Já pensou se isso acontecesse? Como seria se a gente resolvesse se cansar um do outro. Eu estaria sozinho de novo, continuaria igual antes, a minha história de amar e desamar. Acho que cheguei à conclusão que eu não sei mais ser só, e sinceramente não sei se isso é bom. Nunca me imaginei preso em nada, nem tampouco dentro de um coração, mas neste momento eu me sinto feliz, talvez isso seja o suficiente. Se tudo nessa vida tem que ser nomeado, se todo objeto tem que pertencer à alguém, se todo filho tem seu pai e sua mãe, imagina o quão sem graça é uma janela que nunca é aberta, ou um telefone que nunca toca, não é? Então eu sou seu, eu já pertenço a você, o meu amor é seu, e a carta de alforria esta rasgada, não existe, enquanto houver batida dentro de nossos corações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário