domingo, 6 de janeiro de 2013

Janeiro


Eu sempre achei que se eu fingisse me importar com as pessoas, um dia eu realmente me importaria. Eu preciso desabafar isso hoje, pois até ontem eu pensava que não sentia. Não sentia a dor do outro, a perda do outro, eu fingia que sentia, pra ver se sentia, estava seguro no meu egoísmo. Mas ontem eu senti, me tornei vulnerável no momento em que me preocupei com o outro, só o amor nos faz desligar do que somos, do que queremos, para olhar para o outro com mais cuidado, mais atenção. Pensar no que falar para não magoar alguém, antes pra mim era um abuso, hoje se torna algo do meu cotidiano. Então ser humano deve ser isso, uma necessidade de amar para sentir, não por você, pelo outro. E sentir pelo outro dói, muito mais que sentir por si só, é um tumor no meio de um coração, que bate. Uma dor que todos devemos ter.